A Neurobiologia do trauma

O estresse pós-traumático é um transtorno que pode ser desenvolvido em pessoas que passaram por algum evento traumático, seja ele de agressão física ou sexual, assalto, sequestro, acidentes, entre outros. 

Esse transtorno é caracterizado pela persistência de sentimentos e pensamentos incômodos relacionados ao evento traumático, fazendo com que a pessoa reviva involuntariamente o evento. 

O indivíduo não consegue processar a experiência traumática como um evento acabado (embora a ameaça não exista mais) e a memória permanece ativa no cérebro. 

O que faz com que a pessoa reviva não só a parte psicológica, mas também a parte fisiológica com sintomas como sudorese, náusea e tremores, traz, também, prejuízos sociais ao indivíduo. 

Memória aversiva 

Os cientistas chamam de memória aversiva o medo que aprendemos a sentir a partir de uma experiência traumática. Já se sabia que ele é diferente do medo inato – aquele que vem inscrito nos nossos genes. 

Tudo isso ocorre por algum estimulo que faz com que a memória aversiva seja evocada e o indivíduo tenha esses sintomas, o tratamento consiste basicamente em psicoterapia e medicamentos. 

A pessoa que sofreu um estresse pós-traumático pode apresentar dificuldades em sintetizar, categorizar e integrar a memória traumática numa narrativa, ou seja, lembrar do episódio e relatar os detalhes do que ocorreu e como foi sua reação e a reação de outrem. A vítima apresenta dificuldade em acessar fragmentos dos eventos em sua memória, a memória perde a sua intensidade emocional, existe em déficit na estrutura do discurso e o desenvolvimento dos relatos tende a permanecer com expressão emocional intensa. 

Por isso é muito comum durante o relato de um evento traumático a pessoa ficar irritada, com labilidade emocional, ansiosa, com medo, etc… 

Como a Hipnose pode auxiliar na desvinculação emocional com os traumas? 

Durante o processo da Hipnoterapia uma pessoa é capaz de voltar ao momento do trauma por mais difícil que seja e, com a condução do hipnoterapeuta, se posicionar diante do evento de forma impositiva. Mudar o posicionamento diante a uma situação não muda o ocorrido, mas muda a sua percepção sobre o evento, fazendo com que os processos adaptativos se modifiquem e assim consequentemente, modifica a forma como o corpo físico e as emoções reagem àquelas memórias. 

Saiba mais sobre a Hipnoterapia na nossa página inicial, e como ela pode ser útil para você. 

A Neurobiologia do trauma

O estresse pós-traumático é um transtorno que pode ser desenvolvido em pessoas que passaram por algum evento traumático, seja ele de agressão física ou sexual,

Ler mais >>